Série B

Chances de acesso do Vasco caem para 75% após empate

Atlético-GO é 1° time a conseguir acesso; Sampaio Corrêa o primeiro a cair

Por: Redação PLACAR

Vasco empatou com a Luverdense em São Januário| Paulo Fernandes/Vasco.com.br
Vasco empatou com a Luverdense em São Januário | Crédito: Paulo Fernandes/Vasco.com.br
O empate contra a Luverdense, em São Januário, deixou o Vasco um pouco mais longe do acesso, apesar de estar no G4 e ainda ter muitas chances de subir.

Com o resultado, o time caiu para 75% de chances de subir, faltando três rodadas para o fim do torneio. As chances ainda são altíssimas, mas a crise em que o clube se encontra parece ser um problema.

Nas próximas rodadas, o Vasco enfrenta o Bragantino no interior de São Paulo, o Criciúma, em Santa Catarina, e o Ceará em casa. 

Avaí e Bahia, que tem a mesma pontuação do clube carioca, aparecem com mais chances. O Avaí, que enfrenta Náutico (c), Londrina (f) e Brasil de Pelotas (c), aparece com 83% de chances de acesso. Já o Bahia enfrenta Luverdense (f), Bragantino (c) e Atlético-GO (f) e aparece com 80% de chances de acesso.

O Náutico, primeira equipe fora do G4, é quem aparece com mais chances de acesso. Dois pontos atrás do trio, o time pernambucano tem 40% de chances de acesso, e enfrenta Avaí (f), Tupi (f) e Oeste (c) nas últimas rodadas. Já o CRB, dois pontos atrás do Náutico, tem 14% de chances de acesso. Nas últimas rodadas, o time enfrenta Paysandu (c), Brasil de Pelotas (f) e Luverdense (c).

O Atlético-GO, que precisa de dois pontos para garantir o título, é o único time 100% garantido na série A. 

Já contra o rebaixamento, o Sampaio Corrêa é a primeira equipe 100% rebaixada. O Tupi está quase lá, com 99%, seguido de Bragantino e Joinville, que empataram na última rodada, ajudando o Oeste, primeiro time fora da zona.

CHANCES DE ACESSO

Atlético-GO - 100%
Avaí - 83%
Bahia - 80%
Vasco - 75%
Náutico - 40%
CRB - 14%
Londrina - 4%
Ceará - 3%
Luverdense - 1%

CHANCES DE REBAIXAMENTO

Sampaio Corrêa - 100%
Tupi - 99%
Bragantino - 94%
Joinville - 78%
Oeste - 28%
Paraná - 1%

Fonte: Redação PLACAR